4 de nov de 2010

Carta a minha Mãe

Carta a minha Mãe.
Mãe, é muito difícil eu falar agora, sinto muito a sua falta, mesmo com a gente não tendo o hábito de estarmos falando abertamente, mesmo que agente não tenha um aproximação assim como aquela família “doriana”, era o que eu sempre precisei, de chegar e a senhora estar ali.
Seu colo, mesmo a distância me dava o que todo mundo quer ter, a sensação de protegido, de acolhido, de estar em casa.
A sua inteligência nos da orgulho, e mais uma vez, a sensação de proteção, pois a Senhora sempre sabia nos ensinar e nos explicar sobre a vida, sobre as pessoas sobre o mundo.
A mima é lógico que nos da saudade e mais uma vez a sensação de proteção.
Estou a dias me martirizando com minhas falhas, o período em que a senhora esteve no hospital é o que mais me mostra a incapacidade de te dar o que a senhora precisava de mim, ou o mínimo. e isso me entristece muito. A Senhora sempre disse que nós dois éramos muito parecido, e por isso mesmo que só eu sei o que a Senhora precisava, e ao me colocar em seu lugar, vejo o quanto errei.
O Hospital não foi digno a sua coragem, a sua pessoa, a sua altura, porém, agradeço a Deus por todos os profissionais que a acompanharam, pois o carinho e dedicação que muito o tiveram foi o que nos dava a esperança e a Paz de a Senhora estar tranquila em seu tratamento.
O orgulho de tudo e de como a Senhora encarou, nos dá uma admiração da qual não tem palavras pra explicar.
Mais sinto mesmo por todo esse tempo, esse tempo em que a Senhora mostrou como é guerreira, nesse tempo em que nos deu lição de como se deve encarar de frente o maior problema de sua vida, e nessa hora em que a senhora mais precisou da gente, eu, covarde, pequeno e não digno de ser seu filho, me escondi em minha depressão, depressão essa que veio do final de meu relacionamento com a Lívia, em quanto eu sofria por ela, ela estava já com outra pessoa, e a Senhora ali, na cama, na minha frente, em plena luta e eu acovardado olhando ao chão.
Não te peço perdão pois seria muito pequeno da minha parte, pois seria como esconder o que eu fiz. Mais espero que eu não tenha atrapalhado seus deveres e obrigações por isso.
Agora em sua ausência, tenho assistido toda a minha vida ao seu lado, tudo que fizemos, tudo que passamos, e apenas uma coisa é maior que a saudade, é o orgulho da oportunidade que Deus me deu ter nessa encarnação, ter tido a honra de ser seu filho!
Espero que, enquanto eu estiver aqui na terra, que eu possa estar sempre dando frutos de tudo que a Senhora me ensinou, de tudo que a senhora foi e é!
Espero que ao menos agora eu não a esteja atrapalhando em sua nova forma, em seu novo rumo.
Perdoe por eu falhar tanto, por eu estar sempre a mercê de uma mulher, de eu me dedicar tanto e sofrer com as concequências. Perdoe por eu não ser tão forte como a Senhora é, perdoe por que não ter estado 100% ao seu lado, mesmo em casa, quando ainda não sabíamos o que a Senhora tinha. Eu gastava todo meu tempo com as namoradas e não me dedicava o quanto a Senhora merecia e eu queria.
Perdoe por eu espalhar que a Senhora não estava sendo uma boa mãe pra mim, ao não entender de eu jantar e tomar banho nas madrugadas...
A ti, tenho certeza de que está sendo bem cuidada, no mínimo ao lado do Tio, da Avó Maria, de seu Pai, e de mais pessoas da qual a Senhora ama e esta se realizando agora!
Mãe, essa carta é mediucre perto de tudo que quero te dizer, de tudo que sinto, de tudo que a Senhora é! Mais é uma maneira de eu sentir que estou falando com você.
Que Deus te de o que merece (e Ele é justo), que a Senhora sinta orgulho de mim, pois em ti me espelhei, que a Senhora seja sempre a minha mãe, e que me perdoe por tudo que não fui.
Guerreira! Forte! Exemplo de vida e de luta! Sou muito honrado em ter passado essa jornada ao seu lado, espero poder estar sempre perto de ti, e que se Deus assim permitir, que a Senhora dai, possa estar cuidando de mim, como sempre cuidou, sem ser a família “doriana”!
Amo a ti mais do que tudo, apenas não mais que a Jesus Cristo e a Deus!
Que Deus te abençoe e te proteja, te guarde e te mime!
Eu te amo! Amo de verdade, um amor que é único e verdadeiro, o verdadeiro amor de filho a uma grande mãe!
Saudade!
Du.

2 comentários:

  1. Eu li, achei muito bom e uma ótima idéia.
    Resolvi escrever também e me fez muito bem, contei tudo pra ela, sobre a vida inteira e em especial os últimos meses, o que significou pra mim. Enfim...foi ótimo enviar para o Universo todos meus sentimentos, este sei que encaminhará muito bem.
    bjs

    ResponderExcluir
  2. que lindoooo! não me conti,tive que chorar,foi emocionante,mas cabeça erguida,ela está presente,no seu coração! E com o tempo você supera a ausência física dela... Ela está em um lugar muito melhor do que aqui,garanto! E não quer te ver chorar e nem triste,então fique bem...por você,pela sua mãe!

    ResponderExcluir